Category Archives: LITERATURE

O Quebra-Nozes e Os Quatros Reinos, de Meredith Rusu

OpiniãoHoje vou falar-vos de um livro que só me apercebi da existência dele, quando o vi na FNAC, alguns dias depois de ver o trailer no cinema. E devo dizer-vos que quando vi o trailer no cinema fiquei em pulgas! O cenário, o vestuário, tudo aquilo cativou-me!

Então a Leya enviou-me o livro e desde já agradeço IMENSO.
Mas demorei a lê-lo. Porquê? Eu sou daquelas pessoas que preferem ver o filme primeiro e depois ler o livro. Se fizer ao contrário, sinto que odeio os filmes – hahaha – e como não o consegui ir ver ao cinema, tive de esperar, ainda, umas boas semanas.

Entretanto peguei no livro e …… quase devorei.
Vamos por partes. Quando vos falam em Quebra-Nozes, em que é que pensam? Porque a mim, tudo o que me vem à cabeça é o ballet clássico! E honestamente and shame on me for that, eu não fazia a mínima ideia da existência da história clássica, escrita por E.T.A. Hoffman. buuuu

Contudo este livro, editado pela Leya, é uma adaptação do filme lançado no ano passado, escrito pela escritora Meredith Rusu.
E é tãoooo melhor que o filme! Achei que o filme… faltou-lhe ali um quê de qualquer coisa. Adorei na mesma os cenários e as roupas e tudo isso, MAS achei que faltava algo e apercebi-me desse algo quando li o livro. Sabem o que faltou? A história da mãe da Clara.
O livro é escrito em três pontos de vista e o mais importante é mesmo o da mãe da Clara. No livro ela conta como todo aquele mundo mágico nasceu e o que levou às acções de certas personagens e o sentimento é tão bonito, tão acolhedor…

Por isso sim, se ficaram desiludidos com o filme, ou mesmo se o adoraram… leiam o livro. A escrita do livro é super leve, dinâmica e quando derem por ela, já estarão na página final.

  Resultado de imagem para stars emoji pngResultado de imagem para stars emoji pngResultado de imagem para stars emoji png
WOOK | BertrandFNAC
Uma leitura com o apoio da Editora Leya
asa

Anúncios

Pequenas impressões – Li em Janeiro

Durante MESES, sempre que queria falar de alguns livros, apercebia-me que me esquecia do que se tratavam ou da minha própria opinião acerca deles. E sim, eu sei que existe o Goodreads e tudo mas queria experimentar este formato durante algum tempo, a ver se.. well… se resulta.
Qual formato? Falar um bocadinho de cada livro, sobre o que achei e assim. E sim. Sorry mas spoilers vão existir!
Ah! E quem me segue no YouTube, provavelmente já sabe as leituras que fiz eheh. Porque é que decidi publicar em formato escrito? Well.. Nem toda a gente me segue por lá :p

“VAMU LÁ!”

Happily Ever After

OMG amo amo amo! Acho que foi dos livros que li mais rápido hahahah. Completamente viciada nesta história e sei que vai ser daquelas que me virá à cabeça durante anos a fio!
Eu quero um Brian na minha vida! A forma como ele protege a Ella, como pensa sempre no bem-estar dela, na forma como enfrenta o pai dela… uish. E que raiva de pai! Adorei a confrontação! Uma das melhores partes do livro, para mim!
E a Ella… quero que o blog dela seja real! Quero que eles sejam reais!

Krystallo

Nem me acredito que consegui uma parceria com um autor brasileiro! Tão feliz! Tem imensa política pelo meio e eu meio que andei perdida, mas não conseguia parar de ler! E YES! VAI SER TRILOGIA! Ansiosa para saber mais sobre os cristais! Principalmente agora que apareceu uma corujinha ❤

Hello, I Love You

Alguém que me pague uma viagem à Coreia, juseyo! Viagem e estadia e carago, alguém que me arranje lá emprego! QUE SONHO. Sim, tinha algum cliché pelo meio, mas quero TANTO. I mean.. Um coreano com uma americana? I am so in! Pode ser que um dia seja um coreano com uma portuguesa *cof*
E nop. Não é apenas isso. Ambos têm histórias por detrás. A história dela, então,… fez-me chorar! Não é apenas um livrinho para koreaboos. É um livro fofo, comovente e com uma lição.

#TheRealCinderella

Mais um retelling do clássico Cinderella e este sim – teve as odiadas meias-irmãs e a estúpida madrasta.
Mas eu gostei tantooooo! E o motivo foi que me relembrou de um dos meus filmes preferidos da minha.. “adolescência” – “A Cinderella Story”. Aquele filme com a Hilary Duff e o Chad Michael Murray. *swoons*
SUPAH CUTE!

Did I Mention I Love You?
Ai… que dizer sobre este livro…. Li-o num dia. Isto já diz muito, né? Eu nem sei explicar bem sobre o que é o livro sem spoilar, mas digo-vos que gostei imenso! É intenso. É grrr. E tem algo que eu simplesmente não entendo, mas é considerado tabu nos EUA. Sigh.

Já leram algum? Querem ler algum?
Beijinhoooos

BD – Afirma Pereira | Opinião

45254547_302644137127909_1968967489870102528_n.jpg

OpiniãoFazer esta opinião foi difícil. Não porque não gostei mas porque não sabia o que dizer! Comecemos, apenas, por mencionar que esta banda desenhada foi adaptada de um romance de Antonio Tabucchi e que a razão da minha dificuldade foi porque o livro é considerado político.

Temos Pereira, um jornalista da página cultural do “Lisboa”, jornal esse que não levantava problemas ao regime da altura. Ah pois, esqueci-me de mencionar. O livro passa-se em 1938, ou seja, na época de Salazar.
Pereira é um jornalista viúvo, sem filhos e que leva a vida num … deixa andar – sem objectivos, sem lutas, completamente apático.
Até que conhece Monteiro Rossi, um jovem que sub-contrata (e paga-lhe do próprio bolso) para escrever obituários. Claro que o jovem não sabe o que escrever ou como escrever porque tudo o que ele realmente escreve, pode levá-lo à prisão.
Pereira começa, então, a questionar-se, ao ver o modo irresponsável em que o rapaz vive e mesmo as suas ideias a favor de uma revolução.
Ele acaba, inclusive, internado a fim de se recuperar a nível de saúde e nesse local conhece o Dr Cardoso que lhe diz algo que achei bem interessante: a teoria da confederação das almas, em que uma alma emergente pode tornar-se hegemónica num determinado momento. Basicamente e falando o mais simples daquilo que deduzi, diz que temos várias almas em nós mas também uma alma que reina sobre todas elas. No momento em que essa alma tem dúvidas e mais algo do género, uma dessas outras almas pode se impôr e basicamente ocupar o lugar do “rei” tornando-se ela no novo “rei”. Confuso? hahaha

É um livro que nos relembra do valor da democracia e liberdade, que nos relembra a resistir. que nos ensina a dizer não.
Adorei o final. Foi meio agridoce mas foi perfeito. Principalmente porque “passo-me” completamente quando vejo injustiças.

Este foi uma banda desenhada em que demorei a pegar mas cheguei ao fim a pensar no porquê de não a ter lido mais cedo! E adorei a palette de cores!

4WOOK | Bertrand | FNAC

Uma leitura com o apoio de
GFloy

 

 

 

Os Altos e Baixos do Meu Coração, de Becky Albertalli

44778774_2257171241233366_2662137673430335488_n.jpg

Autora: Becky Albertalli
ISBN: 978-972-0-03034-4
Sinopse:

Aos 17 anos, Molly sabe tudo o que há para saber sobre o amor não correspondido. É que a jovem já se apaixonou 27 vezes, mas sempre em segredo. E por mais que a irmã gémea, Cassie, lhe diga para ter juízo, Molly tem sempre cuidado. É melhor ter cuidado do que sofrer.

Quando Cassie se apaixona, a sua nova relação traz um novo círculo de amigos. Dele faz parte Will, que é engraçado, namoradeiro e um excelente candidato a primeiro namorado da Molly.

Mas há um problema: o colega de Molly, Reid, um cromo e fã incondicional de Tolkien, por quem ela jamais se apaixonaria… certo?

Uma história divertida e comovente sobre primeiros amores e a importância de sermos fiéis a nós mesmos.

OpiniãoGostei bastante!
Primeiro porque tem uma protagonista diferente do normal. A Molly é mais cheinha, muito tímida, introvertida e insegura.
Segundo, porque me revi nela.

Este livro é escrito na primeira pessoa, na visão da Molly. E ela tem uns pensamentos que … bem. Revi-me. Mas ser na primeira pessoa, também me fez ficar de pé atrás, porque eu gostaria de ter conhecimento dos pensamentos de outras persoangens. As facetas e histórias delas, sabem?

Mas pronto. Temos a Molly que por ser muito insegura… não fala. I mean. Quando tem crushes, não se confessa. Deixa-se estar no seu canto, porque assim não tem o sofrimento de ser rejeitada. Mas se ela não se confessa… Como dizemos o não está sempre garantido, mas ela acaba por não ter a hipótese da resposta, talvez ser um sim ou mesmo um talvez. E com isso… somam-se 27 crushes, pelos mais variados motivos!
Já a irmã gémea dela, a Cassie é super extrovertida e não tem problema em lançar-se ao mundo. E começa por aí a história. Porque a Cassie conhece a Mina e começa a deixar de lado, meio de lado a irmã. E para tentar mantê-la mais na sua vida, tenta fazer um arranjinho com um dos amigos da Mina, o Will. hummm…
Devo dizer que a irmã não me cativou. Teve ali bastantes atitudes deploráveis. Meh.
Maaaaas a Molly de repente vê-se com mais um crush. E entre o amigo da Mina, Will e o Reid… Eu sei qual escolheria. Apesar de um deles ter um look pelo qual babo. haha.

A história é bastante fácil de se ler. É uma leitura leve e fluída sobre a amizade, a relação entre irmãos, questões familiares e novos amores.

4WOOK | Bertrand | FNAC

Uma leitura com o apoio de
Resultado de imagem para porto editora

Alto, Moreno e Provocador, de Madeline Hunter

44356091_364553627616942_4193705955868803072_n.jpgAutora:
ISBN
: 9789892342917
Sinopse: 

Ives, filho de um duque, é um advogado de renome. Dedicado e imperturbável, consta que é apenas na intimidade que satisfaz os seus apetites mais insaciáveis. Quando Padua Belvoir tenta contratá-lo para defender o pai dela, é com espanto que descobre que ele já está a trabalhar no caso… mas como advogado da acusação!

Para Padua trata-se de um golpe terrível. Na sua luta para provar a inocência do pai e salvá-lo da forca, rapidamente percebe que Ives não só não a poderá ajudar, como é o seu mais temido adversário… quanto mais não seja pelo seu olhar arrasador, que a deixa tentada a ceder-lhe… tudo.

OpiniãoComeçou por ser uma leitura a um ritmo mais lento porque tinha lido Julia Quinn antes e a escrita da autora é um bocado diferente.

Adorei, mais uma vez, ver uma mulher à frente do seu tempo, com a cabeça no sítio correcto, mas (!) sem tentar forçar as coisas a seu proveito. Graças a Deus que não era mais uma mulher pequenina, bonitinha, que se “quer colocar no bolso”, mas sim uma mulher alta (quase tão alta como o protagonista) e com traços não muito bonitos, mas que num conjunto, a tornavam bela (okay esta aqui já se está a tornar cliché). Mas AMEI que o sonho dela seja ir estudar numa universidade para Itália. Matemática, ainda por cima! Claro que naquela altura, uma mulher a estudar numa universidade era algo super raro e visto de lado… imaginem ainda ser estudar matemática e ciências….

Já ele… Ives… – só pensei em Yves Saint Laurent hahah – moreno ….. uiui. Um libertino. Óbvio. Um nobre. Mais que óbvio. Um advogado. Pois cla….huh? Sim! Finalmente vejo um nobre – protagonista – cuja profissão não é apenas ser nobre e andar pelo Parlamento, ou no exército ou mesmo pela sua mansão, mas sim, advocacia! Ter uma profissão no ramo da justiça! E o melhor de tudo. Ives era íntegro, fiel e justo!
Mas o livro foi um bocadinho confuso para mim, por meteu alguma lei e política no meio e, sem rodeios, sou uma naba nesses assuntos.

Foi um livro que me agradou e apesar de a meio pensar que não me apeteceria ler os outros dois (este é o segundo. oops), dei por mim a querer os volumes para uma futura leitura!

3 estrelasWOOK | Bertrand

                                           Uma leitura com o apoio deResultado de imagem para leya

A Indomável Miss Bridgerton, de Julia Quinn

Info do livroAutora: Julia Quinn
ISBN: 9789892342689
Sinopse:

Por vezes, o amor surge nos lugares mais inesperados…
Não é o caso, desta vez.
Todos esperam que Billie Bridgerton se case com um dos irmãos Rokesby. As famílias são vizinhas desde sempre, e Edward e Andrew os eternos companheiros de brincadeiras de Billie. Tanto um como o outro dariam um excelente marido.
Por vezes, apaixonamo-nos pela pessoa que seria perfeita para nós…
Outras vezes, não.
Há apenas um Rokesby que Billie não tolera de forma alguma: George. Pode ser o mais velho, e o herdeiro do título, mas é arrogante e irritante. Ainda por cima, o ódio é mútuo, algo que lhe convém na perfeição.
Mas, por vezes, o Destino tem um sentido de humor perverso…
Pois quando Billie e George ficarem a sós… (certamente no mais inusitado dos locais!) e os seus lábios relutantes finalmente se unirem num beijo, os dois poderão vir a descobrir que a pessoa que não suportam pode bem ser aquela sem a qual não conseguem viver.

Os fãs dos Bridgerton – para os quais o fim da saga foi o fim do mundo – têm agora uma nova razão para viver. A série Rokesby – que é uma prequela às tão adoradas histórias da família mais extravagante da Regência – não só os traz de volta como conta como tudo começou…

OpiniãoHOLD UP HOLD UP! Abram alas para a rainha, “faxabor” – Julia Quinn, a passar e mais uma vez a brilhar!
AAAAH eu estava tão ansiosa por ler este livro! Eu amo este mundo desde a saga The Bridgertons aka a minha família. Ah não sabiam? Prazer. hahahha kidding.

Estou tão hype que nem sei!
AMEI! Ainda não tinham percebido?
Temos a Billie que surpresaaa, prefere vestir calças a vestidos. Tem 23 anos, é aventureira, doida, mete-se em sarilhos e é a preferida de todos. Porque para além de ser isso tudo, é um doce de menina/mulher. É ela que cuida da propriedade da família, seja a visitar os aldeões, a cavalgar a propriedade, seja a ler livros de Agricultura, apenas para aprender e melhorar o cultivo das terras. É muito inteligente e ainda uma mulher que demonstra que sabe o que quer.  Existe até um certo momento no livro em que ela se sente mais em baixo e diz que teria sido mais fácil ela ter nascido homem, porque basicamente é ela quem administra a propriedade da família. Isto apenas enquanto o irmão mais novo está na escola.

E temos o George! O único dos irmãos Rokesby que não a suporta e que acha um exagero todo o alarde que fazem à volta dela. Mas se há coisa que ele é… para além de lindo e charmoso e orgulhoso, é que apesar de tudo… ele é um cavalheiro. Não apenas em título! É em…. tratar sempre bem as pessoas, mesmo se elas forem umas palermas.

Como se comportam os dois juntos? Discussões, óbvio.
Ai adoro as respostas sarcásticas. Sério. Amo as discussões deles. E com as discussões começamos a ver  a química e a cumplicidade entre ambos a crescer. E…. aah aquela parte no fim…. Me ama!

Leiam os livros todos da autora. Não se vão arrepender! (só houve dois livros que ficaram meio meeeh na minha opinião, mas não foram livros com a família Bridgerton, por isso…)

4,25WOOK | Bertrand | FNAC

                                           Uma leitura com o apoio de Resultado de imagem para leya

Not If I See You First, de Eric Lindstrom | Opinião

42800824_2174982715905524_7122764954708475904_nInfo do livroAutora: Eric Lindstrom
ISBN: 9780008146313
Sinopse:

The Rules: 
Don’t deceive me. Ever. Especially using my blindness. Especially in public.
Don’t help me unless I ask. Otherwise you’re just getting in my way or bothering me.
Don’t be weird. Seriously, other than having my eyes closed all the time, I’m just like you only smarter. 

Parker Grant doesn’t need 20/20 vision to see right through you. That’s why she created the Rules: Don’t treat her any differently just because she’s blind, and never take advantage. There will be no second chances. Just ask Scott Kilpatrick, the boy who broke her heart.

When Scott suddenly reappears in her life after being gone for years, Parker knows there’s only one way to react-shun him so hard it hurts. She has enough on her mind already, like trying out for the track team (that’s right, her eyes don’t work but her legs still do), doling out tough-love advice to her painfully naive classmates, and giving herself gold stars for every day she hasn’t cried since her dad’s death three months ago. But avoiding her past quickly proves impossible, and the more Parker learns about what really happened–both with Scott, and her dad–the more she starts to question if things are always as they seem. Maybe, just maybe, some Rules are meant to be broken.

OpiniãoComprei este livro apenas pela sinopse. Nunca tinha lido nenhum livro em que a protagonista era cega e foi isso, plus as regras (foram mais as regras) que me convenceram a pegar nele. E apesar de ter demorado a realmente lê-lo… digo-vos. Li-o na altura certa.

Eu simplesmente AMEI o livro. Amei as personagens, amei a história, amei o enredo. Sim, faltam ali um ou outro pedaço. Sim, eu continuo a querer um bocadinho mais. Mas a história tocou-me tanto, emocionou-me tanto…

Temos a Parker, que é a nossa protagonista cega. QUE PERSONAGEM INCRÍVEL. Eu nem sei do que estava à espera, mas de certeza que não era uma personagem de personalidade forte, que apesar da sua cegueira, nunca se viu menor que os outros. –  PELO CONTRÁRIO! – Ela usava todos os momentos e dificuldades, tudo o que conseguia depreender pelos outros sentidos, para abrir o seu leque de possibilidades. Carago, ela CORRIA sozinha. E não estou a falar de jogging. Estou a falar de sprints.
Ah e tal é fácil, é só correr.” É não é? Experimentem andar de venda um dia inteiro e tentem andar em linha recta, ou mesmo correr em linha recta. Para ela fazer o que fazia, ela tinha de mapear o local todo, procurar por qualquer coisinha que a pudesse fazer tropeçar, cair, magoar. Mas adiante.

A Parker é simplesmente fantástica. Uma smartass. Literalmente, não tem filtros. Mas ao longo do livro, vemos o crescimento dela enquanto pessoa, após mais um evento traumático que acontece na sua vida.

E o romance no livro! Não há assim nenhum ponto em que ficamos swoon, mas eu chorei tanto mas tanto porque me tocou tanto uma parte. Eu literalmente tive de parar de ler e ir falar com uma amiga e ela esteve a acalmar-me.
Não estou a fazer sentido nenhum, mas é só para compreenderem o quanto este livro me tocou e me fez ficar com os sentimentos aos frangalhos. Eu chorei em casa. Eu tive de me controlar no comboio. Mais que uma vez. E eu ri, também.

Resumindo… Não posso falar pela … Sociedade Cega (?), mas o livro fez-me repensar muito e compreender o que realmente seria lógico em termos de comportamentos, em relação a pessoas cegas.

É um livro que me fez chorar, rir e que mudou a minha visão (pun not intended).

5 stars