Outlander – A Libélula Presa no Âmbar | Opinião

Outlander – A Libélula Presa no Âmbar | Opinião

IMG_20180923_112215_346.jpg

Info do livroAutora: Diana Gabaldon
ISBN: 9789724620275
Sinopse:

Durante vinte anos Claire Randall manteve o seu segredo. Mas agora, de férias nas majestosas e misteriosas Highlands, Claire planeia revelar à sua filha uma verdade tão impressionante como os acontecimentos que lhe deram origem: o mistério de um antigo círculo de pedras, um amor que transcende os limites do tempo e a verdadeira identidade de James Fraser, um guerreiro escocês cuja valentia levou uma Claire ainda jovem da segurança do seu século de vida para os perigos de um outro tempo.
Mas um legado de sangue e desejo vai testar Brianna, a sua bela filha. A fascinante viagem de Claire vai continuar em Paris, ao lado de Carlos Stuart, na corte intriguista de Luís XV. Jamie tem de ajudar o príncipe a formar alianças que o apoiem na reconquista do trono da Inglaterra. Claire, no entanto, sabe que a rebelião está fadada ao insucesso. A tentativa de devolver o Reino aos católicos resultará num banho de sangue que ficará conhecido como a Batalha de Culloden, e deixará os clãs escoceses em ruínas. No meio das intrigas da corte parisiense, Claire enfrenta novamente um velho rival, tenta impedir o morticínio cruel e salvar a vida do homem que ama.

OpiniãoApós mais de dois meses, finalmente venho falar um bocadinho sobre o segundo livro da saga Outlander – A Libélula Presa no Âmbar.

O livro é ENORME. Eu olhava para ele e engolia em seco. Voltava a olhar e preferia ler outras coisas. Olhava again e como ele não é propriamente um livro que pode-se levar para todos os cantos, desistia. Mas olhei de novo e pronto. Teve de ser. Criei um projecto de ler clássicos, só por causa do livro, confesso. E ele nem sequer é um clássico! Quem quiser pode ver aqui o vídeo.

Mas graças a isso, LI-O! E devo dizer… devorei as 150 páginas finais!
O primeiro volume mexeu-me com os nervos e cheguei a sentir-me mal, por isso estava meio com medo deste. Os nervos… bem.. permaneceram. Mas só a emoção valeu a pena.

A Libélula no Âmbar foca-se mais numa parte histórica. E vá… foi um bocadinho secante. Tanto que, apesar de amar História, entrou-me por um ouvido e saiu pelo outro. Ou wait. Eu não ouvi. Eu li. A mente não registou, vá. Isso e todas as conspirações políticas, que é coisa que não falta mesmo!

Neste livro somos levados até Inverness, a 1968, quando a Claire, já viúva de Jack, volta à Escócia acompanhada pela filha, Brianna. Aqui ela pede algumas informações relativamente a Culloden, ao filho do reverendo, Roger. E é em Inverness que a nossa Claire conta, finalmente, a verdade à filha, sobre o seu pai biológico. Imaginem a vossa mãe a dizer que engravidou de vocês… 200 anos antes. Freaky.
Então, basicamente neste livro vemos pedaços da vida de Claire e Jamie, em França (na tentativa de mudar a História), pedaços da vida de Jamie, após a partida de Claire do passado, e pedaços da vida de Claire, vinte anos após a viagem no tempo.  Confuso? YES! MAS É LINDOOO! E TRISTE!

Mas eu… não sei. Ler histórias destas, faz-me pensar que não aguentaria nem metade do que eles aguentaram, mas ao mesmo tempo, o meu coração de romântica fica tão feliz por ler sobre um amor que resiste a tudo …

Dragonfly in Amber é mesmo… um desespero. Por algo mais, por algo melhor para todos e acima de tudo, uma luta constante para que os pombinhos consigam permanecer juntos.
É uma daquelas sagas que eu digo e volto a dizer… LEIAM!

4WOOK | FNAC | Bertrand

Anúncios
Save The Date, de Morgan Matson

Save The Date, de Morgan Matson

40287631_488484281626224_7417372768884228096_n

Info do livroAutora:  Morgan Matson
ISBN: 9781481404570
Sinopse:

Charlie Grant’s older sister is getting married this weekend at their family home, and Charlie can’t wait—for the first time in years, all four of her older siblings will be under one roof. Charlie is desperate for one last perfect weekend, before the house is sold and everything changes. The house will be filled with jokes and games and laughs again. Making decisions about things like what college to attend and reuniting with longstanding crush Jesse Foster—all that can wait. She wants to focus on making the weekend perfect.

The only problem? The weekend is shaping up to be an absolute disaster.

There’s the unexpected dog with a penchant for howling, house alarm that won’t stop going off, and a papergirl with a grudge.

There are the relatives who aren’t speaking, the (awful) girl her favorite brother brought home unannounced, and a missing tuxedo.

Not to mention the neighbor who seems to be bent on sabotage and a storm that is bent on drenching everything. The justice of the peace is missing. The band will only play covers. The guests are all crazy. And the wedding planner’s nephew is unexpectedly, distractingly…cute.

Over the course of three ridiculously chaotic days, Charlie will learn more than she ever expected about the family she thought she knew by heart. And she’ll realize that sometimes, trying to keep everything like it was in the past means missing out on the future.

OpiniãoEu adorei o livro “Since You’ve Been Gone” da autora, por isso quando vi que este tinha sido lançado este ano, fiquei super entusiasmada!
Comecei a ler e li bastante rápido até cerca dos 35%… mas a partir daí e até aos 65/70%, parecia uma tartaruga.
Não porque não estava a gostar! Longe disso! Mas penso que estava a entrar numa reading slump. Ao mesmo tempo estava a tentar ler um outro livro e penso que foi esse livro que me fez abrandar em tudo. Quando finalmente desisti dele, a leitura fluiu rapidamente! (e isto é uma lição para mim e penso que poderá ser para vocês também!)

Falando então do livro em si….
Wow. Eu fiquei stressada ao lê-lo! No bom sentido, claro! Parecia que eu mesma estava lá com a Charlie, a tentar com que tudo corresse certo no casamento da irmã!
E o que mais gostei foi do facto de, apesar dos irmãos e irmã da Charlie serem todos mais velhos – por uma margem significativa – todos eles, pais incluídos, apoiavam-se na filha. Não de forma a sobrecarregá-la. No no! A família era unida (apesar de terem tido um problemazito, pelo meio).
Para mim,  a Família Grant é goals family!
A única coisa meio “irrealista” foi tudo ter-se passado em três dias! TRÊS! Todos os problemas, confusões, risos e palhaçadas, tudo se passou durante um único fim-de-semana! Livin’ la vida loca! hahahaha

Ai mas quando a família estava junta… todos as piadas internas, os problemas, o falar por cima um do outro, o brincarem e gozarem uns com os outros, o protegerem-se quando o mais normal, hoje em dia, seria vingarem-se e “chibarem-se”… Ai deu-me vontade de estar lá no meio deles!
Parecia-me imenso um filme! Aliás, a família serviu de inspiração para o trabalho da mãe. Ela escreve uma tirinha que sai todas as semanas no jornal, tirinha essa que conta as aventuras da Família Grant!

Quem está à espera de um romance… Quase não vai apanhar isso. Ele aparece, mas de uma forma bem beeeem soft. Este livro é mais sobre uma família e a união entre eles.

Mas apesar de tudo………….. Cryptic, esta frase huh? Leiam hehe

4Book Depository | Amazon UK

Mulherzinhas, de Louisa May Alcott

Mulherzinhas, de Louisa May Alcott

39027512_1029757547232498_712042845384474624_n.jpgInfo do livroAutora: Louisa May Alcott
ISBN: 9789897022227
Sinopse:

Um grande clássico Juvenil que transcende as fronteiras do tempo e da idade e faz desta obra um marco na literatura. A família March passa tempos difíceis, com a partida do pai para a guerra e o surgimento de dificuldades económicas. As jovens irmãs Meg, Jo, Beth e Amy ficam com a mãe, revelando-se mais fortes do que qualquer adversidade. Esta é uma história de amor, coragem e união, inspirada nas experiências da autora e das suas irmãs. A vida continua em tempo de guerra, e as quatro irmãs brincam, fazem novos amigos, discutem, lidam com os seus defeitos, aprendem com os erros, ajudam-se perante as dificuldades, sonham e crescem. Afinal, são já umas mulherzinhas. Um livro que nos dá o retrato de uma família de classe média americana do seu tempo, sublinhando os seus principais valores morais, e em que o amor e a coragem se revelam mais fortes do que todas as dificuldades

OpiniãoO que dizer sobre este clássico que fez parte da minha infância. Quando era pequena – literalmente quando tinha 10 anos – li a versão infantil da obra, versão essa que até o ano passado pensei ser a versão original da obra. Quando me apercebi do meu erro, quis ler a versão integral. E ena. Hoje vejo a importância que o livro teve no meu crescimento enquanto leitora mas também enquanto pessoa! Tenho me vindo a aperceber disto ao reler certos livros que li há muitos muitos anos!

A obra fala, então, de uma família, a família March, com as suas quatro filhas. É um livro que fala dos sonhos da família, das dificuldades pelas quais passam e dos problemas que tentam ultrapassar.
Uma das coisas que mais gostei foi que nenhuma das personagens era perfeita. As irmãs têm personalidades completamente diferentes – a Meg é a mais velha e uma das mais calmas, apesar de a meu ver, ligar um bocadinho “demasiado” às coisas materialistas, a Jo é a maria-rapaz (e sei que muita gente se identifica com ela), a Amy é a menina mais vaidosa das quatro e a Beth é a doçura em pessoa. Pessoalmente, amo a Jo e a Beth.

Cada capítulo fala um pouco sobre como elas lidam com determinadas situações, como as tentam resolver e como, por fim, se apercebem de que poderiam ter feito melhor ou em como se sentem realizadas por determinada acção que fizeram. Tudo isto, claro, com o apoio da mãe que era um anjo em pessoa! Honestamente, quero ser pelo menos, metade da mãe que a Senhora March é.
Cada capítulo tem, então, um fundo de moral que me levou a repensar imensa coisa. E claro que sendo um clássico, pode não agradar a muita gente, até porque a sociedade e alguns dos conceitos morais de antigamente mudaram.
Mas eu amei o livro. Tanto enquanto criança, como agora em adulta.

É um livro para reler e reler e reler!

4                                         WOOK | WOOK | Bertrand

 

Leituras de Junho

Leituras de Junho

O mês de Junho foi um bocadinho complicado a nível de leitura.
Tudo porque tinha, novamente, uma tbr e o peso dela já começava a fazer-se sentir.
Apesar de tudo, quando cheguei ao fim, fiquei super admirada! Então não é que cumpri quase tudo?
Se quiserem, saber qual foram as minhas escolhas, cliquem aqui!
Quanto às leituras propriamente ditas, podem ver no vídeo abaixo!

Koldbrann – parte 3: Imprudentes, por Ana Cláudia Dâmaso

Koldbrann – parte 3: Imprudentes, por Ana Cláudia Dâmaso

Info do livroAutora:  Ana Cláudia Dâmaso
ISBN: 9789895227
Sinopse:

Enquanto se vivem momentos tensos na fortaleza de Mérida e as opiniões oscilam em Scallabis com a chegada das eleições, Diana Salvatore e o seu melhor amigo, Josh, vivem uma nova realidade, onde ambos se deixam consumir pelas suas mais instintivas emoções, esquecendo os seus objectivos e sonhos.

Como conseguirá ela desenvencilhar-se do facto de se ter transformado numa kold? Serão as acções desses monstros assim tão desmedidas? E que nova espécie de kold é, afinal, aquela a que Diana chamou de “twitcher”?

OpiniãoVocês não sabem como estava ansiosa por ler este livro. Principalmente depois de ter adorado o segundo volume.
No início fiquei um bocadinho confusa, mas depois entendi o que se andava a passar e posso dizer que gostei bastante! Do que falo? Basicamente falo do que se passa dentro da mente da protagonista. Ela mudava tão rápido de pensamentos que eu levei só um cadinho a entender o que realmente se passava. E wow. Gostei imenso da forma como a autora descreveu uma mente confusa… uma mente “drogada”.

Senti uma diferença entre este livro e o segundo. Enquanto que no segundo houve muito mais acção, este voltou ao ritmo do primeiro, mais lente, mais descritivo.
Uma coisa que gostei foi o processo de reabilitação. Sim, por vezes foi maçador, mas gostei de como a autora descreveu todo o processo.

O que não gostei foi do Josh. Eu adoro o Josh. Mas ele neste livro, fez-me querer abaná-lo para ver se acordava. Sim! Eu compreendo o ponto de vista dele! Sim, entendo que os acontecimentos deixaram marcas profundas, mas o que não entendo é como é que uma pessoa tão “à frente”, um soldado, foi abaixo como foi.
Quanto à Diana… Acho que ela acalmou imenso. Foi bom de se ver mas penso que…. senti uma falha ali na personagem. Não me parecia a mesma. Faltava um pequeno sparkle nela….

É um livro que se lê extremamente rápido e eu que leio muito pouco de autores portugueses, digo que gosto imenso da história que a autora criou! Estou ansiosa pelo quarto e último volume!

Agora spoilando a sério porque não me aguento e quem não quer que não veja, mas a parte do Josh dizer “Já se passou um mês e só agora falas??”  PLEASE. She tried to talk to you a lot of times and you shut her down! Passei-me com ele! E como é que ele tem a coragem de dizer que ela só quer ir para Dover por um motivo, QUANDO É POR UM MOTIVO IGUAL que ele quer voltar para casa? No. Sorry boo but shut up.
E eu penso que sei o porquê da Di se ter apaixonado… At least I think I know… Sim, o Tom (baby boo) foi um querido com ela. Ajudou-a mesmo sabendo que nunca a teria mas o Mark … O Mark estava na frente de batalha. O Mark lutava de uma forma diferente. O Mark tentava arranjar a cura. Acho que a Di se identificou muito mais com ele e isso levou-a a se sentir protegida e a abrir o seu coração a um… igual… Afinal de contas… ele mesmo passou pelo mesmo…
Posso estar errada tho hahaha

STARS 3,75WOOK | FNAC

Ms. Marvel, Vol. 1: Fora do Normal

Ms. Marvel, Vol. 1: Fora do Normal

2.jpg

Info do livro.pngAutor: G. Willow WilsonAdrian Alphona (Artist)
Editora: G. Floy Studio
ISBN13: 9788416510658

Sinopse:

Kamala Khan é uma jovem adolescente muçulmana de Nova Jérsia, perfeitamente normal… até ao dia em que descobre que recebeu poderes extraordinários!

Mas quem é realmente a nova Ms. Marvel?
Uma simples adolescente muçulmana?
Uma inumana?
Uma fã de Carol Danvers, a Capitã Marvel?
Estará Kamala preparada para usar os seus tremendos poderes, e conseguirá ela perceber que com grande poder vem grande responsabilidade?

Descubram tudo isso quando ela tomar o universo Marvel de assalto… ou pelo menos Nova Iorque e arredores!

Opinião  Capa: Adoro a capa. Adoro as cores. Mas o que mais amo é que é o retrato de uma rapariga normal. Ela está vestida de uma forma perfeitamente casual e o tipo de roupa que usa, todas usamos num determinado momento da nossa vida! Ou todos os dias ou uma vez todas as semanas haha. Ela podia ser uma de nós!

Desenho: Gostei imenso do desenho. Claro que não é a dita beleza de deuses ou wtv, mas isso só faz com seja ainda mais down to earth. Gosto imenso dos tons de pastel de algumas cenas, e a diferença de cores entre cenas diferentes que demonstra uma mudança no ritmo e nas situações.

História:
Ora bem… ultimamente o universo dos comics decidiu apostar mais em heroínas femininas (YES!) e isso no início fez-me um bocadinho de confusão por estar habituada a super-heróis ditos homens. Quando decidiram fazer a Thor mulher eu fiquei eeeeh nooo…  apenas porque estava habituada ao “nosso” Thor (e diga-se mais de passagem… ao Thor dos filmes. Quem não)
Mas mesmo assim pensei que seria interessante ver/ler como seríamos retratadas, até porque somos muito badass nalguns casos (GO BLACK WIDOW AND STORM) ><

O que mais me surpreendeu neste comic foi o facto de conseguirmos relacionar-nos muito bem com a Kamala. Ela é uma adolescente paquistanesa e tem dúvidas e sonhos e desejos que nós tínhamos/temos. Ela quer sair à noite com amigos, ela tem os problemas normais que cada adolescente tem mas as tradições da religião da família prendem-na… E esse é outro aspecto de que gostei imenso. O facto de nos mostrarem um bocado o mundo e religião muçulmana. A Kamala pergunta-se acerca das suas próprias crenças e acerca dos seus próprios sonhos.
36810064_1771990612880371_292015517944774656_nMas o que realmente gostei mais……….. foi o facto de que a Kamala ter um sonho. Ser uma heroína. Ela mesmo sonhava e falava com os heróis da Marvel. E ela queria ser um deles. Mas queria mais ainda! Queria ser loira. Alta. Até ao momento em que o sonho se realizou e ela ao ver-se como alta, loira, linda e popular, entendeu que preferia ser ela mesma. Ser a Kamala. Mas melhor. Penso que foi esse aspecto que mais me marcou na leitura.

A leitura é leve, bem humorada e eu aconselho a todos, a conhecerem a Kamala!

Com o apoio de:

GFloy